16 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Sábado, 18 de Maio de 2019, 08h:00 - A | A

REABERTURA

Após morte de bebês, secretário anuncia reabertura de leitos de UTI e novos funcionários para Hospital Regional de Sinop (MT)

Foto: SES-MT/Assessoria

image

Após a morte de dois bebês em Unidades de Pronto Atendimento (UPA), que aguardavam por uma vaga em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em Sinop, a 503 km de Cuiabá, o secretário de Saúde do estado, Gilberto Figueiredo, anunciou a contratação de novos enfermeiros e a reabertura de dois leitos de UTI e 10 leitos de clínica médica para o Hospital Regional, que atende a região norte do estado.

O anúncio aconteceu nessa quinta-feira (16) após reunião com a prefeita Rosana Martinelli e com o promotor Pompílio de Azevedo.

Com as novas medidas, o HR deve operar em sua capacidade máxima, com 86 leitos no total, podendo chegar a média de 350 cirurgias realizadas por mês. Atualmente, esse número não passa de 180.

Além disso, Gilberto afirmou que haverá um novo sistema regulador, em Sinop, para a transferência de pacientes, para que somente os médicos tomem decisões em relação as internações. Segundo o secretário, o novo sistema deve começar a funcionar a partir da primeira quinzena de junho.

Durante uma coletiva de imprensa, Gilberto ressaltou a precariedade do Hospital Regional, que faz com que diversos pacientes dependam do Ministério Público e da Defensoria Pública para conseguir transferência para uma UTI.

Mortes à espera de UTI

No dia 27 de abril, uma criança de um ano e dois meses morreu depois de dar entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Sinop, com falta de ar e febre.

A diretora da UPA afirmou que a criança ficou na unidade por dois dias, foi entubada e passou a respirar com a ajuda de aparelhos. No entanto, ela necessitava de uma UTI pediátrica.

Uma recém-nascida indígena também morreu à espera de uma UTI no dia 23 de abril. A bebê apresentava um quadro suspeito de meningite.

A Defensoria Pública havia ingressado com uma ação para que o estado disponibilizasse a vaga. O pedido foi acatado pela Justiça, mas a transferência não foi realizada.

Imprimir




RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da





ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

logo
image