16 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Quarta-feira, 22 de Maio de 2019, 15h:09 - A | A

BOLA FORA

Presidente da Câmara de Cuiabá concede moção de aplausos a mulher condenada por furtar clientes em clínica de estética

G1

Foto: Câmara de Cuiabá/Divulgação

image

O presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Misael Galvão (PSB), concedeu uma moção de aplausos a uma esteticista que responde a oito processos na Justiça, bem como já foi presa algumas vezes pelo crime de estelionato e furto qualificado e cumpre pena em regime aberto.

A esteticista ficou conhecida nacionalmente ao ser acusada de aproveitar o momento em que as clientes faziam procedimentos na clínica de propriedade dela para furtar cartões e realizar compras.

A assessoria de imprensa afirmou, por meio de nota, que a moção de aplausos, diferente de outras honrarias como o título de cidadão que é concedido individualmente, poderá ser concedida por seguimentos e grupos.

Quando se faz moção de aplauso por um evento ou comemoração, geralmente se homenageia o grupo de pessoas envolvidas de forma indistinta.

"A Legislação aplicável à moção de aplauso não impõe a necessidade de pesquisa sobre a vida pregressa das pessoas. Neste viés, o nome foi indicado em um grupo de pessoas que foram homenageadas por ocasião do aniversário de 17 anos de um determinado programa de televisão. Diante do conhecimento dos fatos noticiados, a assessoria jurídica da Câmara Municipal de Cuiabá será comunicada e, se for o caso, a Câmara revogará a moção de aplauso", diz trecho da nota.

Ela foi presa pela primeira vez em 2008. Naquela época, a Justiça decretou a prisão após investigações da Polícia Civil concluírem que a esteticista furtava e fazia compras com cartões das clientes.

Ela aproveitava a distração das mulheres enquanto elas realizavam procedimentos estéticos. Segundo a polícia, os gastos foram feitos em lojas de materiais de construção, roupas, cosméticos, farmácias e eletroeletrônicos.

A soma dos gastos com os cartões furtados passaria de R$ 10 mil. Ela é proprietária da clínica de estética, que fica localizada no Bairro Jardim Paulista, na capital, onde os crimes aconteciam. Ela foi solta após poucos meses em cárcere.

Outra prisão ocorreu em 2009 após um flagrante por furto. Ela respondeu por ter furtado uma bolsa em uma loja de departamentos em Cuiabá. No período, ela também chegou a ficar presa por alguns dias.

No mesmo ano, as ações penais da mulher chegaram a ser interrompidas após ela ser declarada como portadora de uma enfermidade mental. Um exame médico, porém, comprovou que ela não possuía nenhum transtorno psiquiátrico.

A esteticista não responde mais por este processo de furto após a Justiça estadual, no ano passado, declarar a prescrição do crime. Na decisão, a juíza Suzana Guimarães Ribeiro Araújo afirma que “não se vislumbra justificável razoável, juridicamente moral e ética, a conferir autorização para que o processo penal seja impulsionado sem que haja uma possibilidade, ainda que remota, de se chegar a um desfecho punitivo ou executável aos réus”.

Imprimir




RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da





ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

logo
image