16 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Sexta-feira, 14 de Junho de 2019, 16h:17 - A | A

INVESTIGAÇÃO

Polícia investiga morte de criança levada já sem vida a hospital

Equipe médica encontrou sinais de abuso sexual e dopagem; PJC descarta possibilidade de estupro

O Livre

Foto: Assessoria/PJC-MT

image

A Polícia Civil de Mato Grosso está investigando a morte de uma criança de 11 anos que foi levada pela madrasta no Hospital Santa Rosa, em Cuiabá, na tarde dessa quinta-feira (13). A criança já teria chegado sem vida ao hospital. Os médicos tentaram reanimá-la, mas não tiveram sucesso e, ao preparar o corpo, desconfiaram de um possível abuso sexual e acionaram a polícia.

Segundo um funcionário do Hospital Santa Rosa – que pediu para não ser identificado -, a menina já havia sido levada ao hospital outras vezes pelo pai e pela madrasta, com crises convulsivas. Nas demais internações, iniciadas no fim de abril, ela era medicada, fazia exames, passava por médicos de várias especialidades, mas nunca teria sido encontrada nenhuma causa para as convulsões.

Entre a última segunda-feira (10) e a terça-feira (11), a criança chegou a ser internada em crise, medicada e liberada, retornando nessa quinta-feira (13), por volta das 15 horas, já sem vida, nos braços da madrasta.

“Ela deu entrada no Pronto-Atendimento já em óbito, com parada cardiorrespiratória. O pessoal do PA atendeu, fez medicações, massagem, mas ela não voltou. Na hora de preparar o corpo, eles perceberam que ela estava machucada na região genitália, aí surgiu a suspeita de abuso”, contou um funcionário do hospital.

A criança não tinha marcas de violência física pelo corpo, mas, além da região íntima machucada, ela estava vomitada, o que levou a equipe médica a também desconfiar de uma possível dopagem, ou engasgamento. O funcionário, no entanto, relatou que a criança nunca relatou nenhum abuso ou violência em casa, nas demais internações.

O Conselho Tutelar também foi acionado. Uma equipe da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) passou a investigar a causa da morte da menina. O delegado Marcel Gomes de Oliveira, que está investigando o caso, requisitou à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) um exame de necropsia.

Segundo o funcionário do Santa Rosa, a mãe biológica da criança faleceu quando ela nasceu. O pai, então, entrou na Justiça e a menina ganhou uma indenização, que só poderia ser recebida quando ela completasse 18 anos. Até o momento do acionamento da polícia, a família da mãe da menina não havia sido informada sobre a morte.

Porém, o delegado já adiantou que a hipótese de que a menor tenha sido vítima de violência sexual já foi descartada pela perícia. O resultado do exame de necropsia deverá sair em até 30 dias.

A Polícia Judiciária Civil informou que está levando em conta o histórico de acompanhamento médico da criança que, inclusive, foi internada duas vezes em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) nos últimos meses devido a problemas de saúde.

Imprimir




RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da





ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

logo
image