icon facebook icon twitter icon instagram

18 de Março de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Quinta-feira, 14 de Março de 2019, 13h:58 - A | A

Família e amigos de estudante assassinada fazem ato em praça de Tangará da Serra (MT) antes da 1ª audiência sobre o caso

image

Parentes e amigos da estudante Mariana Dutra, de 21 anos, que foi assassinada em novembro de 2018, se reuniram na Praça da Bíblia, em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, nessa quarta-feira (13), com cartazes e camisetas. A primeira audiência do processo que apura o crime está prevista para esta quinta-feira (14).

Um adolescente de 15 anos foi apreendido na data do crime suspeito de matar a jovem.  Ele confessou a autoria do assassinato. E, em dezembro, a polícia prendeu Bruno Santos de Souza, de 24 anos, apontado como o mandante do crime. Com ele, foi apreendido o celular da vítima.

Depois de se concentrarem na praça, os familiares desceram pela Avenida Brasil, em silêncio. A manifestação foi organizada para pedir Justiça às autoridades que vão começar a julgar a morte da Mariana.

Essa é a primeira audiência sobre o caso realizada no Fórum de Tangará da Serra para ouvir Bruno de Souza.

 Marina foi morta a facadas em novembro do ano passado. O corpo dela foi encontrado em um matagal no Bairro Jardim Acapulco depois de ficar quase 20 dias desaparecida.

A polícia informou que, antes de desaparecer, Mariana esteve na delegacia para prestar queixa por causa de um celular e uma bicicleta que teriam sido roubados dela. Desde então a família denunciou o desaparecimento e procurava pela jovem.

O adolescente está no Centro Socioeducativo de Cáceres, a 220 km de Cuiabá.

Imprimir
Comentários












Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.





RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da



image