19 de Maio de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Sexta-feira, 10 de Maio de 2019, 16h:30 - A | A

Juiz condena faculdade a indenizar professora em R$ 389 mil por humilhações e demissão injusta

Olhar Direto

Foto: Ilustração / Reprodução

image

O juiz do trabalho substituto Alex Fabiano de Souza, da 3ª Vara do Trabalho de Várzea Grande, condenou a Faculdade de Cuiabá (Fauc), Faculdades Integradas Desembargador Sávio Brandão (Fausb), Faculdade Aum e Faculdade Cândido Rondon (FCR), todas do mesmo grupo econômico, a indenizar em R$ 389.171,43 uma professora que se disse humilhada, demitida injustamente e que tem valores a receber.
 
A ex-funcionária entrou com uma ação contra as faculdades pedindo a rescisão indireta do contrato de trabalho, o pagamento de verbas rescisórias, diferenças salariais, indenização por danos materiais e morais, horas extras, liberação do FGTS com multa e entrega das guias para habilitação no seguro-desemprego.

Ela alegou ter sido vítima de perseguição por parte da diretoria administrativa e que isso prejudicou sua saúde. Ela agora sofre de lombociatalgia (nevralgia ciática associada a dores lombares), e também de depressão grave.
 
O juiz analisou os vários pedidos da vítima, indeferindo alguns e identificando 15 pagamentos, entre indenizaçõs e valores devidos, que o grupo econômico deve fazer à ex-funcionária, totalizando a quantia de R$ 389.171,43.
 
A requerente alegou que, durante o vínculo empregatício, pelo terror psicológico sofrido, foi acometida de doença ocupacional denominada Síndrome de Burnout. O juiz entendeu que o laudo pericial constatou o nexo causal direto entre os eventos e condenou o grupo a indenizá-la.
 
A professora também relatou diversos pagamentos que não foram feitos e diferenças salariais não quitadas, pedindo também indenização por danos morais por causa de um cheque que recebeu da empresa, que retornou.
 
O juiz verificou que de fato a empresa deve alguns pagamentos à ex-funcionária, que a demissão foi culpa da empresa e entendeu que ficou comprovada a humilhação que ela sofreu, resultando em problemas de saúde. Ele então condenou o grupo econômico das faculdades a indenizar a requerente.

Imprimir




RÁDIO

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da

Citadas por Temer, fake news não são tema principal da





image